Olá pessoas do outro lado da telinha!

Hoje a resenha é de um produto que tem causado polêmica na internet: A esponja de silicone.




Antes de mais nada, há alguns fatores que você deve considerar ao ler essa resenha:

  • A minha pele estava limpa e hidratada da mesma forma e com os mesmos produtos de ambos os lados do rosto.
  • Só foram usadas a base, a esponja de silicone e uma esponja gota de 100% poliuretano para essa resenha.
  • Eu testei a esponja por vários meses e de várias formas antes de trazer a resenha
  • Poliuretano = Composto do qual é feito as esponjas gota, 360º e etc, tipo as da marca beauty blender, que você molha e ela incha.

Apesar de não ser mais uma novidade, a esponja de silicone ainda é um produto que causa muitos debates na internet, então estou aqui para dar a minha opinião pessoal sobre o produto.


 A proposta principal dessa esponja é aplicar o produto no rosto sem que ela absorva nada, ou seja, você tem o total aproveitamento do produto aplicado.
Na foto, a diferença entre o lado onde usei a esponja de silicone e o lado onde usei a esponja de poliuretano não é tão gritante quanto é ao vivo, mas se você der zoom ou observar bem, verá que no lado da esponja de silicone, meus poros parecem mais abertos na região da bochecha que está próxima do nariz e até mesmo os poros do próprio nariz, enquanto no lado da esponja gota a pele parece mais suave e aveludada.
Devo dizer que a esponja de silicone cumpre bem o requisito de economizar produto, tem cobertura maior e espalhabilidade muito boa.

Então o que causa tanta discórdia? A esponja de silicone é boa ou não?
Vamos por partes...
A esponja de silicone, como o próprio nome já diz, é feita de silicone, que é um material liso e impermeável. Isso significa que ela não vai absorver nada, o que é ótimo para a economia de produto e para espalhabilidade, coisa que como já ressaltei acima ela cumpre perfeitamente. Por outro lado, os mesmos motivos que a fazem ser econômica e deslizar bem sobre a pele, são os que colaboram para que ela não dê acabamento nenhum na pele!
Veja bem, a nossa pele é constituída de poros (e muitas outras coisas, porém nessa resenha vamos focar nos poros). Sejam mais fechados ou abertos, eles estão aí, em todas as peles.
O sucesso de aplicar uma base com um pincel, é que cada cerda dele vai entrando nos poros durante a aplicação, fazendo com que o produto penetre de forma homogênea na pele.
O sucesso de aplicar uma base com uma esponja feita de poliuretano, é justamente o fato dela ser porosa, maleável e macia. Isso faz com que ela ajude o produto a penetrar na pele e dar aquele acabamento de pele porcelana.
A esponja de silicone, por ser lisa, sem nenhum atributo que permita que a base penetre nos poros e a maleabilidade ou  maciez necessária, faz com que a base não tenha acabamento na pele.

Isso significa que a esponja de silicone é inútil?
Você consegue espalhar a base perfeitamente na sua pele com a esponja, e alcançar todas as áreas. Mas mesmo que o acabamento dela seja ok, se for usada sozinha ela não dá e nem nunca dará acabamento profissional na pele. Mas isso não faz dela inútil.

Podemos unir o útil ao agradável...
A esponja de silicone é ótima em economia de produto e espalhabilidade, porém é péssima em acabamento.
A esponja de poliuretano é ótima em acabamento, porém suga muito produto que precisa ser reposto várias vezes pra cobrir todo o rosto.
Então o que eu fiz para resolver o meu problema e ter o melhor aproveitamento possível, foi unir as duas e criar a esponja perfeita. Eu aplico e espalho o produto com a esponja de silicone, e venho dando acabamento com a de poliuretano. Assim eu economizo produto e tenho o acabamento perfeito.

Deixe aqui nos comentários se você também já usou essa esponja, o que achou dela e o que achou da ideia de combiná-la com a esponda de poliuretano.

Comprei com a Clarissa, que você pode conhecer clicando aqui.


Nota (0-5): 2,5


Todas as imagens desse post são de minha autoria, se pegar, dê os créditos!


Deixe um comentário